Entenda o que é a automação de testes

6 minutos para ler

Os profissionais responsáveis pela fabricação direta dos produtos, em qualquer segmento, estão sempre buscando meios de garantir mercadorias de alto nível, que não causem dor de cabeça ao usuário final. Com os desenvolvedores de software não é diferente.

Esses profissionais devem testar as suas soluções tecnológicas para encontrar erros e inconsistências gerais se quiserem entregar softwares de qualidade para os compradores. Nesse contexto, surge a automação de testes. Preparamos um post para falar mais sobre o conceito, suas vantagens e os cuidados essenciais para otimizar os procedimentos. Boa leitura!

O que é a automação de testes?

Trata-se de um processo no qual uma solução digital realiza testes em software ou entre ferramentas tecnológicas para identificar erros prováveis. Por meio dos comandos, o profissional consegue delegar a um robô a testagem de um programa ou um site, por exemplo, para encontrar bugs.

Desse modo, podemos dizer que a automação de testes é, basicamente, a utilização de ferramentas digitais para simular a direta utilização dos softwares. Com esse trabalho, os desenvolvedores conseguem simular situações e contextos de uso por parte dos clientes — e se antecipar às falhas antes de entregar o produto.

O mais importante é entender que ela possibilita aos desenvolvedores a possibilidade de identificar erros em uma fase inicial do trabalho com o software. Dessa maneira, será possível evitar que essas falhas se espalhem para outras áreas do programa, o que causaria transtornos e problemas que sobrecarregam a equipe de TI.

Outra particularidade interessante é que esses testes podem ser automatizados não somente na fase inicial, mas em qualquer momento do desenvolvimento — ou modificação do produto. O essencial é que eles sejam aplicados já nas primeiras linhas de código, ou até mesmo em um estágio anterior.

Isso é possível por meio da técnica conhecida como TDD (ou Test-driven development), quando o software é desenvolvido com base em testes estabelecidos antes mesmo da programação (ou escrita dos códigos). Além disso, é possível conversar com a equipe inteira e determinar uma bateria de testes, diários ou semanais, como meio de identificação de falhas e bugs ao longo dos trabalhos.

Quais são as vantagens dessa prática?

Agora que conhecemos melhor o conceito de automação de testes, é o momento de apresentar as suas vantagens específicas. Confira!

Agilidade nos procedimentos

Talvez a vantagem mais significativa seja a agilidade conferida ao processo como um todo. Isso porque os testes manuais levam tempo, o que acaba desgastando a equipe interna de TI e ainda causa demora na entrega dos produtos para o cliente final.

Quando a automação é empregada, o processo se torna muito mais ágil e simplificado, uma vez que as máquinas passam a realizá-lo de acordo com um padrão de excelência estabelecido pelos próprios desenvolvedores.

Com essa ajuda providencial da máquina, os profissionais podem ser alocados em tarefas mais desafiadoras e ligadas às atividades-fim. Isso traz mais motivação para a equipe, que pode se dedicar a produzir mais, entregando essa atividade de automatização às máquinas.

Prevenção de erros

Uma das principais vantagens da automação de testes é a capacidade de prevenir erros recorrentes. No gerenciamento realizado de forma puramente manual, os desenvolvedores costumam se deparar com testagens repetidas ou determinados detalhes que deixam de ser analisados com rigor por falhas humanas durante o processo.

Desse modo, a automação surge naturalmente para aumentar a precisão do procedimento como um todo, eliminando os erros mais comuns. Como se não bastasse, as verificações automatizadas conferem maior controle do processo aos profissionais, já que elas não sofrem interferência de fatores externos e que não estejam relacionados à programação.

Redução de custos

Com mais precisão durante os testes, a automação também reduz efetivamente os custos, uma vez que a ocorrência de retrabalhos tende a diminuir. Dessa forma, o procedimento é mais rápido e consome menos recursos — e menos tempo dos profissionais envolvidos, vale dizer.

Maior satisfação dos clientes

Como consequência do rigor conferido pela automação dos testes, o resultado é que a qualidade do produto final também se eleva. Isso se explica pelo fato de que nem todas as testagens podem ser realizadas de forma manual — assim, a automação confere velocidade à produção, o que reduz o tempo de entrega ao consumidor final.

Como se não bastasse, há mais agilidade no processo e também mais qualidade, uma vez que todos os testes seguirão as normas determinadas pela própria empresa para melhorar suas mercadorias.

Quais são os cuidados essenciais?

Contudo, por mais que a prática seja essencial para o desenvolvimento de aplicações, ela deve se submeter a alguns cuidados básicos. Em primeiro lugar, cada teste deve ser especificado antes mesmo do início de um projeto. Dessa forma, quando a ideia inicial for apresentada à equipe, é fundamental criar um organograma para o processo, até mesmo como uma forma de definir quais serão os resultados esperados.

Outra ação essencial é garantir que a equipe seja capacitada o suficiente para a utilização de testes. Uma ótima ideia é contar com parceiros e colaboradores externos, uma vez que esses profissionais estão acostumados a desenvolver softwares sob demanda.

Dessa forma, será um intercâmbio de ideias muito interessante para os seus projetos. É preciso lembrar que os testes não são totalmente interrompidos quando o desenvolvimento do software termina: é recomendável que eles continuem a ser realizados já com o programa ativo, como um meio de monitorar as funções e garantir que sua performance seja adequada às metas estabelecidas.

Como pudemos ver no artigo, a automação de testes é uma maneira eficiente de garantir aplicações funcionais. Ao entregar softwares de alto nível para os clientes, com pouca ou nenhuma ocorrência de bugs e inconsistências, sua empresa garante a satisfação do consumidor e estabelece uma boa reputação no mercado, potencializando as vendas.

Afinal, todo mundo quer utilizar soluções tecnológicas que não “travem” a todo momento e paralisem a operação da empresa contratante. A automação de testes surge, portanto, como uma espécie de controle de qualidade aplicado antes que os softwares cheguem ao mercado.

Se você achou este artigo interessante e quer continuar recebendo os nossos conteúdos, aproveite para seguir os nossos perfis nas redes sociais! Estamos no Facebook e no LinkedIn!

Você também pode gostar

Deixe um comentário